AppleConsert – Curso de Manutenção de iPhone

AppleConsert – Curso de Manutenção de iPhone

E aí galera unida, bonita e cheirosa? 

Sei que muitos de vocês estão duros e costumam entrar no nosso querido oráculo – mais conhecido como Google – e digitar, ansiosos pela resposta que mudará suas vidas: como ganhar dinheiro.

Acho que essa é a palavra chave mais buscada de TODAS. Afinal, todo mundo quer ganhar uma grana, certo? No entanto, o que muita gente precisa ter em mente é que pra ganhar dinheiro sem investir nada é coisa totalmente fora de qualquer lógica. Então, a não ser que você tropece em uma pedra e caia em um poço cheio de petróleo no quintal da sua casa, de antemão aviso: Esta postagem NÃO É PARA VOCÊ.

Na verdade, se você está buscando uma forma de sair do buraco, pagar suas contas você veio ao lugar certo. Mais especificamente, se você procura um curso de manutenção de iPhone e iPad, saiba que você está no melhor lugar que poderia estar.

Certo? Vamos em frente?

Estes dias encontrei um produto sensacional, desenvolvido pelo técnico Bruno Leite. O cara é genial e desenvolveu o Curso AppleConsert – Manutenção iPhone. Como bom cético, tenho a tendência de sempre desconfiar dessas coisas, afinal o que não falta na internet é gente desonesta e louca para tirar grana alheia sem oferecer o que promete.

Porém, fiquei surpreso demais com a qualidade do material que o Bruno desenvolveu. Mais abaixo deixarei uma aula demonstrativa do Curso de Manutenção de iPhone e vocês poderão concordar comigo. Eu já vi muitos cursos na internet – gratuitos e pagos -, mas a metodologia aplicada no Curso AppleConsert – Manutenção iPhone foi a que de longe mais me agradou.

Está ficando curioso? Vem comigo que eu conto o resto.

Curso AppleConsert – Manutenção iPhone – Vale a pena?

Antes de falar se vale a pena, você pode ler estas manchetes, caso queira, senão, descarte-as e siga lendo a minha avaliação e mais alguns detalhes sobre o curso.

Leu tudo?

O que isto significa? Não, não estou subestimando a sua inteligência. O significado disto é que o mercado de celulares, especificamente da Apple, nunca esteve tão quente. É muito comum encontrar pessoas que estão procurando pela assistência autorizada e por ‘N’ motivos acabam preferindo consertar os seus aparelhos em assistências locais, muitas vezes não-especializadas, com menor custo e com possivelmente a mesma eficiência. A verdade é que consertar aparelhos da Apple é um nicho MUITO rentável e ganhar dinheiro, aliás, viver disto é algo perfeitamente real e possível.

Pelas minhas análises, os lucros giram em torno de 80~100%. Pensando aqui rapidamente não consegui encontrar algo tão lucrativo e que possa ser feito em pouco tempo e que seja realmente eficiente e sustentável a longo prazo.

Sustentável por que nada indica que as vendas de celulares da Apple irão cair nos próximos tempos, mesmo com a infernal tããããão falada crise.

curso de manutenção de iphone e ipad

Pois bem, agora vamos ao que interessa realmente: Curso AppleConsert – Manutenção iPhone – Vale a pena comprar?

O que me chamou MUITA atenção foi a qualidade da edição dos vídeos. Não espere por vídeos em baixa qualidade e mal acabados. A riqueza de detalhes é muito grande em todas as 90 vídeo-aulas, divididas em 8 módulos que englobam desde os consertos mais simples até mesmo os mais complexos e avançados.

Em cursos mais caros, inclusive com valores três a quatro vezes maiores que o Curso de Manutenção de iPhone eu encontrei vídeos mal editados e uma dinâmica de aula cansativa e enfadonha, além de não mostrar os detalhes, estes cursos não davam a impressão de que qualquer pessoa poderia realmente fazer o que era pedido. A diferença do AppleConsert para os outros cursos é que qualquer iniciante pode consertar um iPhone com o método aplicado no curso.

O Curso de Manutenção de iPhone é dividido em módulos e cada módulo equivale a um aparelho específico de iPhone e/ou iPad:

  • Módulo 1 – iPhone 4
  • Módulo 2 – iPhone 4S
  • Módulo 3 – iPhone 5
  • Módulo 4 – iPhone 5S
  • Módulo 5 –  iPhone 5C
  • Módulo 6 – iPhone 6
  • Módulo 7 –  iPhone 6 plus
  • Módulo 8 – iPhone 6S

Você aprenderá a consertar: Bateria, Flat Dock, Câmera, Flat Power, Flat Volume, Display LCD, Botão Home, Auricular, Câmera Frontal, Campainha e muito mais. Estas são apenas algumas das vídeo-aulas que estão presentes nos módulos citados acima.

Ainda está muito curioso? Veja o vídeo abaixo de uma vídeo aula demonstrativa do AppleConsert – Curso de Manutenção de iPhone:

Muito didático, certo?

Portanto o AppleConsert – Curso de Manutenção de iPhone vai te ensinar a diagnosticar defeitos e apontar as soluções para os seus clientes. Além do mais, você será preparado para ter uma profissão altamente rentável e que te proporcionará liberdade financeira em médio prazo. Se ainda sobrevive trabalha como empregado e deseja arduamente encontrar uma nova profissão, tenha certeza que aprender a consertar celulares é uma ótima pedida.

Maaas, se você já está satisfeito com a sua profissão, o curso também é indicado para quem simplesmente quer aprender uma nova atividade e aí, você pode até consertar os celulares dos seus amigos e o seu próprio sem ter que gastar mais nada com as caríssimas assistências autorizadas.

Honestamente o AppleConsert – Curso de Manutenção de iPhone vale bastante a pena e como alguém que já comprou o curso, eu indico também a você que chegou até aqui e leu tudo o que falei. Isto é sinal que você tem uma mente empreendedora e possivelmente alcançará o sucesso financeiro tão almejado simplesmente por buscar.

Vantagens de adquirir o curso:

  • Você poderá assistir as video-aulas como quiser e quando quiser. A licença de compra do curso é vitalícia;
  • Você poderá tirar dúvidas com o Bruno Leite – criador do AppleConsert – a partir do email que ele mesmo disponibiliza para isto;
  • Mais de 90 vídeo-aulas em alta qualidade de edição e de conteúdo com riqueza de detalhes e mostrando todos os processos de forma lenta e prática;
  • Custo benefício sensacional em relação aos cursos concorrentes que cobram muito e entregam muito pouco;
  • Você estará apto para realizar consertos simples e até mesmo complexos e começar a viver somente disto;
  • Você será o seu próprio patrão.

Para maiores informações sobre o curso, como preço e onde efetuar a compra, acesse o SITE OFICIAL clicando neste link.

Ah, peço que vocês compartilhem esta postagem. Se não foi útil para você, pode ser para alguém.

Obrigado pessoal e até a próxima.

Moreno.

Como escolher o apartamento ideal para comprar?

Ter um apartamento para chamar de seu é o sonho de muita gente. Porém, se a escolha do imóvel não for feita com cuidado, pode acabar se tornando uma grande dor de cabeça. É aconselhável pesquisar muito para encontrar o apartamento mais adequado.

Nessa etapa, todo cuidado é importante para que não ocorram futuros arrependimentos.

Para te ajudar, listamos algumas dicas valiosas nesta decisão da escolha do apartamento ideal.

1) Localização:

Buscar um apartamento bem situado é um dos pontos mais fundamentais para quem está procurando uma nova moradia. O fator “ótima localização” vai variar conforme seu perfil.Em entrevista ao G1, o gerente comercial de uma construtora, Opus Marcos Henrique Álvares Santos, afirma que que nos dias atuais nós precisamos morar próximos aos locais que frequentamos.
Aos que fazem uso de transporte público, é aconselhável que o seu apartamento esteja localizado próximo aos pontos ou terminais. Mercados ou lojas de conveniência também são itens para se pensar. Por que ir de carro ou ônibus comprar algo que poderia ser feito a pé e sem custo algum?

2) Estrutura

Se você quiser instalar um ar condicionado por exemplo, é necessário verificar se o apartamento tem estrutura para isso. Verifique também como a rede elétrica está implantada no apartamento, assim você poderá analisar a facilidade do uso de aparelhos eletrônicos no seu dia a dia.

3) Segurança

Procure visitar a região em volta do apartamento em horários distintos e em dias úteis e fins de semana, confira a taxa de criminalidade e se o bairro possui muitos registros de roubos de carro. O seu condomínio precisa ter um projeto de segurança bem planejado. Em alguns casos é necessário que haja uma portaria 24h dependendo do local.

4) Raios solares

Para muitas pessoas, essa questão passa quase que despercebida. Entretanto, se você quiser uma residência sem umidade e iluminado adequadamente, a sugestão é um imóvel esteja localizado ao Leste, mesmo que sejam um pouco mais caros.

5) Prazo de financiamento

Conforme mais longo o tempo de contrato, mais juros vão ser pagos pelo seu imóvel. Em reportagem no site da Exame, segundo o Ibedec, caso a taxa seja de 10% ao ano, em 10 anos de financiamento você pagará o valor de mercado de um apartamento só com os juros. Como também a correção monetária e valor do seu financiamento.Assim sendo, em 30 anos de financiamento, será pago 4,5 vezes o valor de mercado do seu apartamento por meio de juros, capital e correção monetária.Tenha em mente que se houver atraso de 3 parcelas, seu imóvel pode ir à leilão e o mutuário perder tudo o que foi pago. E mais: você pode ser surpreendido com uma dívida caso o valor da venda do apartamento seja inferior ao custo do saldo do que se deve do financiamento.

6) O corretor pode ser seu amigo!

Por fim, uma última dica que é crucial e que muita gente não dá atenção durante a busca pelo apartamento ideal é você tentar estar próximo ao seu corretor. Faça dele o seu aliado neste momento de uma importante decisão. Se ele sentir que você está se dedicando bastante para garantir um bom lar, o corretor vai escolher boas opções para você e será seu amigo!

Com estas dicas você vai ter mais chances de encontrar o lar dos seus sonhos. Se você procura por apartamento em uma imobiliária na Fazenda Rio
Grande (Paraná), esta pode ser a melhor opção para você realizar o seu sonho!

Dicas bônus: vou indicar a Imobiliária Almirante como uma ótima empresa para compra de imóveis

Confira abaixo este vídeo com outras dicas interessantes sobre como comprar o apartamento que você tanto deseja:

Zakk Wylde – Pentatonic Hardcore (Vídeo Aula Completa Legendada em Português BR)

Vídeo aula rara do Zakk Wylde de 1997 totalmente legendada no canal do O Super Guitarrista. Inscrevam-se no canal.

TopGear – Tema na Guitarra

Fiquei de cara com essa versão que o guitarrista Ozielzinho fez do tema do jogo Top Gear. Put a keep a real! Dá até vontade de voltar a estudar guitarra novamente.

Como montar um computador para jogos – Tutorial DEFINITIVO

Como construir um PC de jogos: um guia definitivo para iniciantes e profissionais.

Está com aquela grana sobrando e está querendo montar um PC Gamer para rodar os jogos mais pesados com tudo no FULL e a 60fps? Basta seguir o tutorial abaixo e gastar seu dinheiro da forma correta, sem arrodeios.

Nunca houve um melhor momento para ser um jogador de PC. As cenas do jogos atuais são vibrantes: as potências gráficas que envolvem os novos jogos parecem melhores no PC e é a primeira parada para desenvolvedores independentes que fazem jogos criativos e inovadores. E construir um grande jogo no PC nunca foi mais barato ou mais fácil. Mas, nós admitimos que se você nunca construiu um PC antes, ele ainda pode ser um pouco intimidante.

Mas é fácil. Nós prometemos. E nós pensamos que você deve construir seu próprio PC Gamer, mesmo se o seu último PC de jogos foi um ótimo sistema de um construtor de equipamento personalizado. Se você está pronto para dar o mergulho e construir o seu próximo jogo PC, estamos aqui para ajudar. Este é o nosso guia passo-a-passo para construir o seu próprio PC, com vídeos incorporados ilustrando cada passo importante do processo. Seriamente, juntando seu PC não é muito mais resistente do que montando um jogo modelo ou um jogo grande de Lego.

Aqui estão algumas dicas gerais de início antes de entrar no processo passo a passo:

1. Evite a eletricidade estática! Construa seu PC sobre uma mesa ou alguma superfície plana longe do tapete. Idealmente, dissipe qualquer carga corporal acumulada tocando em um objeto metálico aterrado antes de tocar em componentes sensíveis do PC. Contanto que você não estiver esfregando seus pés para a frente e para trás e construindo uma carga estática, você provavelmente está bem.

2. Abra o manual da placa-mãe para a página de diagrama que mostra um layout da placa-mãe. Se você nunca ficar confuso sobre o que vai onde, os rótulos nesta página deve ajudá-lo a classificá-lo.

Tutorial: Etapas de construção de um PC Gamer

Para esta compilação, estamos usando os seguintes componentes. Sua compilação provavelmente será ligeiramente diferente, mas a maioria das etapas abaixo são universais e irão parecer e funcionar de forma muito semelhante.

Instale a CPU

Partes utilizadas: Placa Mãe e CPU

Remova sua placa-mãe de sua luva anti-estática e coloque-a sobre uma superfície limpa e plana, onde você estará fazendo a sua construção. Remova a cobertura de plástico protetora sobre a tomada da CPU na placa-mãe, empurrando o braço da alavanca para baixo e para o lado, em seguida, puxando a cobertura para cima. Agora você está pronto para instalar o processador.

Abra sua caixa de CPU e retire o processador. É provavelmente segura deixá-lo alojado em uma superfície de plástico. Olhe para a CPU e combine a seta no canto inferior esquerdo do chip com o canto inferior do soquete. Há também dois entalhes na metade superior do chip. Os pinos voltados para baixo, de modo que o lado liso de prata deve estar voltado para cima. Existe apenas uma maneira possível de orientar correctamente a CPU, o que facilita a instalação!

A CPU se encaixa no soquete, e você não precisa pressionar para baixo para forçá-lo no lugar. Ele apenas repousa em cima dos pinos. Para terminar a instalação, basta abaixar a cobertura da tomada e empurrar o braço da alavanca para trás no lugar.

Instale o cooler do processador

Peças utilizadas: placa-mãe (com CPU instalada), CPU cooler, pasta térmica.

Pronto para o que é (geralmente) a etapa mais difícil de seu processo de construção? Tudo a partir daqui é uma brisa total, mas instalar um cooler de CPU pode ser um pouco complicado, especialmente porque eles variam em design. Para esta etapa, você deve principalmente seguir as etapas mostradas nas instruções incluídas no cooler do processador. Mas eu vou lhe percorrer dois exemplos: a instalação do refrigerador de estoque Intel incluído com os processadores da Intel, e instalar o popular Cooler Master Hyper 212 Evo, nosso refrigerador de ar recomendado.

Stock Intel cooler: Este pequeno rapaz vai manter um processador Intel suficientemente fresco se você não está fazendo qualquer overclocking, mas não é tão silencioso ou eficiente como um aftermarket cooler. Sua maior força, no entanto, é a simplicidade. Se você olhar para a parte inferior do refrigerador, você vai notar que já tem material térmico sobre ele. Isso significa que você não precisa adicionar pasta térmica à sua CPU. O cooler da Intel também é fácil de montar. Basta colocá-lo sobre o soquete do CPU, orientado de modo que sua rotulação enfrenta a mesma direção que o texto no processador. A armação do soquete é a parte superior, enquanto o braço da alavanca se projeta para baixo. Empurre as cavilhas do refrigerador nos quatro orifícios que cercam o soquete do processador central até que eles encaixem no lugar.

Cooler Master Hyper 212 Evo: Este cooler leva um pouco mais de trabalho. Primeiro, localize a placa de montagem da CPU (também conhecida como placa traseira). Você precisa instalar esta placa para a parte traseira da placa-mãe para fornecer suporte extra para o cooler. Consulte as instruções para encontrar os parafusos adequados e posicionamento da placa traseira para suas placas-mãe, uma vez que o posicionamento de montagem pode variar ligeiramente entre soquetes. Mas alinhar-se deve ser fácil – há quatro furos em torno das bordas da tomada do processador, e é aí que você estará colocando parafusos para anexar à placa traseira na parte traseira da placa-mãe. Segure a placa traseira na posição para que seus orifícios de montagem fiquem alinhados com os orifícios ao redor do soquete e, em seguida, aperte-os no lugar do lado superior.

Com a placa traseira firmemente no lugar, você está pronto para instalar o cooler. Solte a ventoinha do radiador para facilitar a instalação. Agora virar o radiador para que o lado pequeno, com tubulação de cobre, esteja virado para cima. Deve haver uma cobertura de plástico transparente sobre esta superfície para mantê-la limpa.

Retire o plástico e aplique um pedaço de tamanho de ervilha de pasta térmica para o meio da superfície (eu fiz um trabalho desleixado no vídeo acima: você pode usar cerca de metade dessa pasta térmica). Você não precisa de muito, e você não precisa espalhá-lo em torno de pressionar o cooler para a CPU fará isso por você.

Pronto para colocá-lo no lugar? Oriente o cooler verticalmente sobre o soquete da CPU (o soquete é mais alto do que é grande, então você deve orientar o cooler para corresponder) e pressione-o firmemente para baixo na CPU. Certifique-se de que está em linha reta.

Home stretch: olhar para o suporte de montagem do CPU, um crossbar com parafusos de mola nas extremidades. Consulte as instruções para se certificar de que esses parafusos estão posicionados corretamente para a tomada da placa-mãe. Em seguida, com o suporte fechado, deslize-o no espaço entre o radiador e o ponto de contacto do radiador. Há um pequeno orifício de cavilha aqui que o centro do suporte fica em. Empurrá-lo no lugar, em seguida, espalhar os dois braços para fora e posicionar os parafusos no lugar sobre os quatro parafusos de montagem que você instalou anteriormente. Parafuse-os dentro, e você deve sentir o refrigerador apertar acima de encontro à placa-mãe até que esteja prendido firmemente no lugar.

Recolocar o ventilador para o dissipador de calor simplesmente no lugar. Agora você instalou o cooler do processador.

Slot na RAM

Peças utilizadas: placa-mãe (com CPU e refrigerador), RAM

Este passo é fácil. Tão fácil. Pegue a sua RAM (você provavelmente tem dois ou quatro) de sua embalagem. Antes de instalar, consulte a página do manual da placa-mãe sobre os slots RAM. Esta página irá dizer-lhe quais slots RAM são os slots ideal para usar com base em quantas varas você tem. Esses slots são geralmente coordenados de cor.

Depois de saber onde você está colocando a memória RAM, desbloquear o slot, empurrando para baixo as abas articuladas em uma extremidade. Oriente a sua RAM para que o entalhe ⅓ do caminho através da vara coincide com o entalhe no slot. Agora pressione a RAM sticks firmemente nos slots. Não se preocupe em pressionar demais, é preciso alguma pressão. As abas irão clicar no lugar quando as varas estiverem completamente inseridas.

Encaixe o escudo de E / S no lugar
Peças usadas (caixa do PC, placa de E / S da placa-mãe)

É hora de abrir esse novo e brilhante case de PC que você comprou. Abrindo é tão simples como desfazer os parafusos de aperto manual na parte de trás da caixa que mantêm os painéis no lugar e, em seguida, removê-los. Agora coloque a caixa plana em sua mesa de modo que a cavidade principal fique virada para cima.

Sua placa-mãe deve ter vindo com um plástico retangular ou metal I / O escudo que se encaixa sobre as portas de entrada / saída da placa-mãe. Para instalar o escudo de E / S no gabinete, primeiro oriente-o corretamente em relação à placa-mãe e, em seguida, encaixe-o no slot retangular na parte traseira do gabinete do PC. Você terá que pressioná-lo firmemente no slot de dentro do caso; Eles podem ser “ariscos” para instalar, e as bordas são nítidas, então cuidado com os dedos. Pressione contra cada lado da blindagem de E / S até que ele dê uma pressão sólida.

Instale os espaçadores da placa-mãe no gabinete do computador e parafuse-os na placa-mãe

Peças utilizadas: caixa do PC, separadores e parafusos de caixa do PC, placa-mãe.

Seu case deve ter vindo com uma caixa ou um saco cheio de parafusos, zip-laços, e outras probabilidades e extremidades que você vai usar para a instalação. Encontre os espaçadores da placa-mãe – as metades inferiores dos espaçadores são enfiadas, enquanto as metades superiores são furos de parafuso que você estará aparafusando a placa-mãe.

Agora examine seu case. Deve haver cerca de uma dúzia de pequenos furos em torno do interior do caso onde os empurradores ir. Dependendo do seu case, eles podem ser rotulados para motherboards de tamanho diferente: A para ATX, M para micro ATX e I para mini ITX. Dependendo do tamanho da sua placa-mãe (na maioria dos casos, você estará construindo com um tamanho ATX padrão), você quer colocar os separadores nos orifícios rotulados corretamente. Se eles não são rotulados, você deve ter suficiente standoffs para cobrir apenas cada buraco. Parafuse-os no lugar usando a ferramenta separada standoff, que se encaixa sobre o standoff e permite que você use uma chave de fenda.

Com os separadores no lugar, é hora de parafusar na placa-mãe. Oriente-o de modo que as portas de E / S alinhem corretamente com a blindagem de E / S e, em seguida, abaixe a placa-mãe até que ela esteja descansando nos espaçadores. A maioria dos casos tem um peg que se encaixa através de um buraco no centro da placa-mãe, por isso, se você tê-lo posicionado corretamente, ele deve agora ser bloqueado no lugar. Uma vez que a placa-mãe é colocada, encontrar os parafusos da placa-mãe que veio com o seu caso e apertar a mãe para baixo.

Instale a fonte de alimentação

Peças utilizadas: Fonte de alimentação, estojo para PC.

Outro passo fácil. Tire sua fonte de alimentação de sua caixa e reserve todos os cabos, que você estará usando um pouco mais tarde. Dependendo do modelo, a fonte de alimentação pode ser completamente modular (neste caso, não há cabos permanentemente conectados) ou parcialmente modular (os cabos de alimentação da placa-mãe primária estão conectados) ou não modular (uma bagunça de cabos permanentemente conectados) . Independentemente disso, este passo do processo de instalação é o mesmo: você vai colocar a PSU no estojo, geralmente na parte inferior, de modo que o ventilador traseiro e ficha de alimentação e interruptor de ligar / desligar para fora da parte traseira do gabinete .

Dependendo do seu caso, você pode ter a opção de orientar a fonte de alimentação virada para cima ou virada para baixo. Veja o grande ventilador em cima de sua fonte de alimentação? Se o seu caso tem um respiradouro na parte inferior, você pode orientar esse ventilador para baixo para puxar o ar fresco por baixo do caso. Mas não oriente a PSU para baixo se o seu PC estiver descansando no tapete. O ventilador precisa de fluxo de ar claro. Se o seu caso não tiver essa ventilação na parte inferior, basta orientar a fonte de alimentação para que o ventilador virado para cima, no caso.

Com a fonte de alimentação aninhada contra a parte traseira da caixa, localize os parafusos da fonte de alimentação que acompanha o gabinete e parafuse-os firmemente. Você provavelmente precisará empurrar contra a fonte de alimentação de dentro do caso para se certificar de que é confortável.

Inserir unidades de disco rígido e / ou SSDs

Peças utilizadas: estojo para PC, HDD, SSD

Esta etapa irá variar um pouco com base no seu caso e que tipo de armazenamento que você está colocando em seu PC. Uma configuração bastante padrão nos dias de hoje é um SSD para sua instalação e jogos do Windows e um HDD para armazenamento em massa de mídia.

Em um caso típico, há conveniente disco rígido bandejas que deslizar para dentro e para fora, ou corredores de plástico que encaixar nos lados do HDD. Se é uma bandeja, ele provavelmente monta na parte inferior do disco rígido. Oriente o HDD na bandeja de modo que suas portas fiquem voltadas para fora da parte de trás da bandeja. Isso permitirá que você execute cabos para ele na parte traseira do caso, e manter a cavidade interior agradável e clara. Agora, localize os parafusos HDD fornecidos com as peças da caixa do seu computador e aparafuse o HDD na bandeja. Em seguida, basta deslizar a bandeja de volta em seu slot, onde deve caber com um clique agradável. Corredores são ainda mais fáceis: basta encaixá-los para os lados do HDD e, em seguida, slot-lo em um espaço vazio na gaiola do disco rígido.

Os métodos de montagem de SSD variam: alguns casos agora têm slots dedicados de SSD de 2,5 polegadas, enquanto outros usam bandejas de adaptador para encaixar o SSD na mesma parte do gabinete que os HDDs. Se for uma bandeja, a instalação será semelhante a um disco rígido. Consulte o manual do seu caso para descobrir como o SSD deve ser montado.

Conecte discos rígidos e / ou SSDs

Peças utilizadas: estojo para PC, cabos SATA, cabos de alimentação, HDD, SSD

Depois de ter todas as suas unidades instaladas, é hora de conectá-las. Encontre os cabos de dados SATA incluídos com a placa-mãe e conecte-os às pequenas portas SATA das unidades. A porta SATA é entalhada, portanto, o cabo só pode caber em uma maneira.

Após o cabo de dados SATA vem o cabo de alimentação SATA. Esses cabos podem já estar conectados à sua fonte de alimentação – geralmente há plugues conectados a um único cabo e você deve ter vários extras incluídos na fonte de alimentação. Se o seu HDD e SSD estiverem instalados juntos, você só precisará de um cabo para alimentar ambos. Encontre o cabo onde ele está conectado à fonte de alimentação, puxe-o através de uma das aberturas de gerenciamento de cabos ao longo da parede da caixa e conecte o SSD e o HDD. Como os cabos de dados SATA, estes são entalhados e só podem ser conectados de uma maneira.

Passo final: os cabos de dados SATA provavelmente estão apenas pendurados nas unidades agora. Guie-os através de uma das aberturas de gerenciamento de cabos na cavidade do caso principal e ligá-los nas portas de dados SATA na placa-mãe. Eles geralmente estão localizados no lado direito da placa, convenientemente perto de uma abertura de gerenciamento de cabos. Qual porta você deve usar? Todos eles devem funcionar bem, mas consulte o manual da placa-mãe para obter informações sobre o controlador SATA. Ele irá dizer-lhe que as portas pertencem ao chipset da placa-mãe (eu recomendo usar aqueles) versus um controlador de terceiros SATA.

Conecte USB, alimentação, ventiladores e controles de caixa na placa-mãe

Peças utilizadas: caixa do PC, placa-mãe, fonte de alimentação

Você está “a caminho de casa”! Para esta etapa, abra o manual da placa-mãe para a página de layout, porque você tem um monte de cabos para conectar. Deve haver um grande grupo de cabos em algum lugar dentro do gabinete, que controla seus fãs internos e alimentação externa E botões de reinicialização e portas USB e de áudio do painel frontal. A maioria deles são pequenos conectores de pinos que se conectam na parte inferior direita da placa-mãe. Eles são todos etiquetados, por isso ligá-los é tão simples como ler o manual e descobrir o que vai para onde.

Da fonte de alimentação, você também precisará conectar dois cabos: o cabo de alimentação principal, ATX de 20 pinos, molex, se conecta à placa-mãe para fornecer energia. E as placas-mãe ATX também precisam de um cabo de alimentação molex secundário de 6 pinos perto da CPU. Para ligar esse cabo, você pode querer executá-lo em torno da parte traseira de seu caso e através de um dos slots de gerenciamento de cabo perto do topo. Se for muito curto, você pode enfiá-lo ao redor do lado da placa-mãe e do cooler do processador. Apenas não esticá-lo através do centro da cavidade, como é onde vamos estar colocando a placa gráfica momentaneamente.

Com a placa-mãe alimentada, as últimas tomadas que você precisa para conectar são os fãs. Primeiro, verifique se o ventilador do seu cooler está conectado à porta perto do soquete do processador. Em seguida, certifique-se de todos os ventiladores do seu caso estão ligados em seus pinos de alimentação do ventilador mais próximo. Aqueles devem ser visivelmente identificados na placa-mãe, mas novamente, consulte o manual para certificar-se de colocá-los corretamente.

Insira a placa gráfica

Peças usadas: caixa do PC, placa-mãe, placa gráfica, fonte de alimentação

Aqui estamos: o passo final antes de seu equipamento de jogo estar totalmente operacional. Encontre o primeiro slot PCIe x16 em sua placa-o slot longo mais próximo ao soquete do CPU-e remova as placas de cobertura do slot de expansão à esquerda dele. A maioria das placas de vídeo usa um design de slot duplo, o que significa que você precisa remover a placa de cobertura diretamente à esquerda do slot PCIe, e o que está acima dele. Para tirá-los, basta desapertar os parafusos e deslize-os para fora.

Agora, alinhe a interface PCIe PCIe da placa gráfica com o slot e pressione-a no lugar. Quando estiver ranhurado, reinsira os parafusos de dedo que acabou de tirar para manter a placa gráfica fortemente bloqueada no lugar.

Tudo o que resta é alimentá-lo. Sua fonte de alimentação provavelmente já tem dois conectores de alimentação molex de seis pinos conectados, a menos que seja um projeto totalmente modular. Se for totalmente modular, localize esses cabos em seus suprimentos, conecte-os à PSU e, em seguida, conecte-os à placa gráfica. Dependendo da quantidade de energia que o cartão precisa, você também pode ter que conectar os acessórios extra de 2 pinos que podem caber confortavelmente contra os 6 pinos. Com sua placa gráfica totalmente alimentado, você está pronto para jogar.

Ligar e solucionar problemas

Não feche completamente o seu caso ainda. Antes de fazê-lo, você deve testar se o computador está funcionando como pretendido. Conecte o sistema e conecte um monitor (certifique-se de conectar o cabo do monitor na placa de vídeo) e um teclado, o essencial para testar se o sistema será inicializado. Em seguida, certifique-se de que o interruptor de alimentação na parte traseira esteja na posição Ligado e pressione o botão liga / desliga. Se o computador ligar, é um começo promissor!

Se você vir a tela do BIOS aparecer no monitor, isso é ainda melhor. Se você receber qualquer tipo de mensagem de erro aqui que não faz imediatamente sentido, o Google provavelmente o seu melhor recurso. Também pode ser um problema comum à sua placa-mãe, para que você possa tentar pesquisar a mensagem de erro mais o nome da sua placa-mãe.

Se nada aparecer na tela, ou o sistema não liga corretamente, o problema mais provável é com seus cabos. Verifique se tudo está conectado onde ele precisa ser (não se esqueça do cabo de alimentação molex que corre até o soquete do CPU!), E certifique-se de nada está solto. Com um pouco de manejo, você provavelmente terá um PC funcionando.

Atenção: Apesar do tutorial estar correto, não nos responsabilizamos caso você faça a instalação errada e/ou não consiga configurar corretamente. Na dúvida consulte o seu técnico de informática.

Review: Football Manager 2017 vale a pena jogar?

Por que Leicester City chamou a atenção de todo o mundo durante a campanha que os viu se tornar o mais improvável dos campeões? Por que os torcedores de Roma amam tanto Francesco Totti? Isso é porque, se é o conto intemporal do perdedor, ou do menino da cidade natal que vive o sonho futebolístico e assim prosperela nele. A sua capacidade de ser um manager de futebol para capturar esse aspecto do belo jogo é o que o torna um sucesso.

Embora descrito frequentemente (não inteiramente sem mérito) como uma planilha, o fundamento do Football Manager de estatísticas e de números do atributos dos jogadores provou ser terra fértil para a imaginação. O jogo ganha vida através dos contos que contamos a nós mesmos e aos nossos colegas managers sobre nossos sucessos e fracassos – na verdade, você pode encontrar fóruns inteiros dedicados a esse propósito. Isso continua sendo o caso no Football Manager 2017. O jogo continua a criar a compulsão de compartilhar os tipos de histórias que os gerentes de futebol experientes estarão familiarizados com – sobre o “gênio da tática” inspirado que virou um déficit de dois gols e entregou um tempo extra vencedor. Sobre o “wonder kid” que você escolheu da obscuridade e se transformou em uma estrela, ou sobre um clube que você transformou em uma força a ser contada.

Essas histórias são dadas seu poder em virtude do fato de que suas decisões importam. Prestar atenção às flutuações na forma e alterar a seleção da equipe, ou fazer um treino tático para explorar uma fraqueza que você identificou em um adversário são os tipos de detalhes que são recompensados com sucesso, e é incrivelmente gratificante ter o tempo que você gasta tomando decisões que influenciam diretamente no rendimento do seu time e dos seus jogadores.

football-manager-2017-taticas

Suas decisões ditarão AINDA mais o sucesso como Manager

Que suas decisões importam no Football Manager não é novidade. O que há de novo no Football Manager 2017 é a maneira que você é apresentado com as informações que você precisa para tomar essas decisões, e como é mais fácil de implementá-los. Considerando que em versões anteriores, um e-mail em sua caixa de entrada virtual o enviaria para através de menus e sub-menus, caixas drop-down e controles deslizantes, agora será regularmente apresentado com relatórios claros e concisos que podem ser respondidos sem utilizar a Caixa de entrada.

Cada relatório que você recebe é assunto de treinamento específico, scouting, e assim por diante – e é dividido por subtítulos sensíveis que torna a informação que está sendo apresentada para você fácil de interpretar de relance. Além disso, cada pequeno conselho que você recebe de seu pessoal do staff vem anexado com a razão que está sendo proposto, tal como scout de um meia central particular porque é uma fraqueza em seu plantel, e, quando prático, uma caixa rápida para você aceitar o conselho proposto.

Para que você não se pergunte por que eu estou ficando tão animado sobre um novo estilo de relatório, deixe-me assegurá-lo que faz uma grande diferença para a forma como você joga o jogo. Coisas que você não poderia ser incomodado a fazer, ou apenas esquecer, agora tem feito em virtude do fato de que você não tem que sair do seu caminho para fazê-los. Tomemos o exemplo de um jogador cuja forma tem sido boa: agora você recebe um e-mail apontando que eles têm jogado bem e sugerindo que pode valer a pena elogiar o jogador. É algo que de outra forma seria fácil de ignorar, mas como qualquer um que tenha tentado dar a volta a fortuna de uma equipe baixa em confiança saberá, o impulso moral pequeno o jogador vai obter a partir deste é o tipo de detalhe que pode fazer todos os diferença.

As melhorias na forma como o jogo apresenta informações para você estende-se para corresponder aos relatórios. Antes dos jogos, você receberá um relatório de pré-partida em sua caixa de entrada com um gráfico útil que exibe a formação de sua oposição em seu último jogo, detalhes sobre como e quando eles tendem a marcar e conceder objetivos e outras informações que você pode usar Para informar sua estratégia. Após o jogo, você receberá outro relatório com um mapa de calor que mostra quais posições seus jogadores tendiam a ocupar, dados sobre quem cometeu os mais erros, um gráfico para destacar suas combinações de passes de chave e assim por diante, ajudando você a Reconsiderar sua abordagem antes da próxima partida. Embora algumas dessas informações já estivessem disponíveis para você no Football Manager 2016, o problema era que você não saberia necessariamente que estava lá, a menos que você fosse ativamente buscá-lo, e mesmo assim, o fato de que você tinha que fazer um Incômodo Agora toda essa informação está lá. É fácil de interpretar, é fácil de agir, e em um jogo que é tudo sobre tomada de decisão, que faz toda a diferença.

Aqui é que nós alcançamos o que poderia ser um ponto de furar para alguns jogadores. Esse é o fato de que a melhor coisa sobre o Football Manager 2017 não é estritamente novo. É mais que o jogo é muito melhor em apresentar coisas que já estava lá para o jogador. Essa racionalização e refinamento torna o jogo mais fácil de jogar e, por extensão, mais divertido, especialmente para os recém-chegados ou aqueles que não têm jogado por alguns anos. Se você é um fã hardcore, no entanto, que já sabia onde encontrar todos esses pontos de dados e estatísticas, se você verá a entrada deste ano como um passo significativo em frente é questionável. Eu aposto que você vai apreciar as melhorias de interface, mas você pode perguntar se isso é suficiente para justificar para uma nova entrada.

A inclusão social de feeds de mídia é certamente necessária para refletir a forma como o futebol é coberto nos meios de comunicação modernos, mas é inconseqüente quando se trata de como você joga o jogo.

Há algumas características novas este ano, naturalmente, mas falta a substância. O novo feed de mídia social pode ser um golpe para o seu ego na primeira vez que um fã leva você a tarefa de uma assinatura que você está começando a ter algumas dúvidas, mas você rapidamente percebe que cada vez que você faz alguma coisa, o feed será preenchido por algumas pessoas que pensam que você é um gênio e outros que pensam que você é um bufão colossal. Isso provavelmente reproduz com precisão o que é ser um verdadeiro treinador de futebol, mas a natureza dividida de sua base de fãs significa que você logo começa a ignorar seus comentários. A inclusão do feed de mídia social é certamente necessária para refletir a forma como o futebol é coberto na mídia moderna, mas é inconseqüente quando se trata de como você joga o jogo.

O mesmo pode ser dito dos novos papéis da equipe de analista de dados e cientista de esportes, muito em voga no esporte real. Como physios e treinadores, eles são papéis que você precisa preencher, mas depois de ter feito isso, não há necessidade de pensar sobre eles novamente. Isso pode ter sido diferente se houvesse uma boa razão para melhorar a equipe que você tem como o seu clube cresce, mas estranhamente, esses novos papéis não têm estatísticas relevantes que são destacados quando você está contratando-os para lhe dizer o quão bom eles estão em Seu trabalho, como é o caso de outros papéis do pessoal. Isso significa que você fica com pouca escolha, mas encolher os ombros, escolher alguém ao acaso, e deixá-los continuar com ele.

Também é decepcionante ver que nada de nota foi feito para a conferência de imprensa e os sistemas de conversação do jogador que foram o elemento mais fraco da série por algum tempo. Sua natureza inflexível e repetitiva significa que você cai rapidamente no hábito de selecionar as mesmas respostas de ações que você tem sido durante anos (às vezes para responder a mesma pergunta duas vezes em uma entrevista) e continuará a sentir como o que você diz muitas vezes não importa . Em um jogo onde você freqüentemente se encontra agonizando sobre a mais ínfima das decisões, é revelador que você paga pouca atenção para qualquer uma das conversas que ocorrem no jogo.

Jamie Vardy é uma das estrelas do Football Manager 2017

Jamie Vardy é uma das estrelas do Football Manager 2017

Um outro potencial negativo é que, ao contrário do ano passado, o Football Manager Touch – a versão simplificada do jogo principal – já não está incluído no preço e só pode ser comprado separado (a menos que você tenha encomendado). Eu suspeito que esses jogos têm duas audiências muito diferentes – a que quer a experiência completa e aquela que é desligada pela complexidade do jogo principal, então parece improvável que isso seja um problema prático para a maioria dos jogadores.

Há coisas que podemos apontar para que o Football Manager 2017 poderia melhorar, então, mas ainda é um jogo fantástico e um pacote generoso. Os pontos fortes permanentes da série Football Manager estão todos lá, esse banco de dados ridiculamente detalhado (que é tão bem pesquisado que teve uma influência sobre as transferências de jogadores reais) ainda terá você formando naturalmente fortes laços com “jogadores” que são na realidade nada mais do que uma coleção de números, ainda terá você sacudindo o punho em celebração de êxtase durante os altos, e ainda deixá-lo preocupado sobre como arrastar a sua equipe para fora da zona de rebaixamento em sua manhã comutar durante os mínimos. Em outras palavras, o jogo ainda conta grandes histórias lideradas por jogadores.

A maior força do Football Manager 2017 é que ele remove as barreiras entre você e essas histórias. Há menos tempo perdido clicando em menus e menos ocasião para você se sentir como uma perda é o resultado de algo que você esqueceu de fazer, em vez de algo que você pode aceitar como seu próprio erro. Ao melhorar a forma como a informação é apresentada para você e torná-lo mais fácil de agir, o jogo garante que são as decisões que você faz que são importantes, não se você sabe como encontrar o menu certo para torná-los, ou se você sabia Era possível fazer uma escolha particular em primeiro lugar. Isso é exatamente como deve ser, e isso significa que o desenvolvedor Sports Interactive fez um trabalho melhor de abordar a complexidade às vezes assustadora da série do que tem feito por anos.

O que é: um simulador de gestão de futebol incrivelmente detalhado que vai consumir a sua vida, portanto… CUIDADO.
Empresa: Sega
Desenvolvedor: Sports Interactive
Avaliado em: i3-2120, AMD Radeon R9 270x, 8GB, desktop Windows 10 e um Core i3 @ 2,4 GHz, 4 GB, Windows 7 laptop.
Multijogador: Sim
Link: Site Oficial

Onde comprar o Football Manager 2017?

Tutorial – Como colocar uma placa de vídeo externa em seu Notebook

Hoje o post é o chamado “pica das galáxias”. Um tutorial completo de como colocar uma placa de vídeo off-board em seu notebook para jogar jogos pesados.

Com um pouco de pesquisa e paciência, uma configuração de gráficos externos pode transformar seu laptop em uma potência de jogo por uma fração do preço de um PC de jogo totalmente novo.

Eu não tenho sido muito um jogador nos últimos anos, mas eu sempre gostei da idéia de ser um. Esse sentimento se intensificou quando eu tive meu primeiro vislumbre do próximo Star Wars Battlefront. Então, quando eu vi o trailer Fallout 4, eu sabia que tinha que começar a jogar novamente.

Mas eu rapidamente encontrei um grande problema: O único PC que tenho é um 2011 ThinkPad X220 com Intel HD 3000 gráficos integrados. Isso simplesmente não seria suficiente para rodar os jogos pesados mais atuais.

Claro, eu poderia fazê-lo funcionar para títulos como o Diablo III com apenas pequenos momentos de lag na tela de 12,5 polegadas, utilizando a resolução de 1366×728 do meu laptop, mas esqueça mais jogos gráficos intensivos em uma tela externa de 1080p.

Foi quando tive a ideia: “Ei, você pode ter um disco rígido externo, por que não uma placa gráfica externa? Certamente alguém fez isso.

Muitas pessoas têm. Há ainda algumas empresas a construir a sua própria placa gráfica externa (eGPU) em gabinetes como Alienware, MSI e ViDock. Mas esses kits eGPU tendem a ser caros pra caralho ou usar a tecnologia de conexão proprietária.

É por isso que a maior parte do mundo do jogo eGPU é tudo sobre DIY set-ups.

A boa notícia é que muitas pessoas que vão a rota DIY acabam com uma experiência plug-and-play que requer pouca ou nenhuma modificação, mas para chegar ao plug-and-play parte, você tem que fazer sua pesquisa.

Quando isso é feito, no entanto, você vai ficar com um “laptop assassino” derrubando o PC em jogos que podem bater até mesmo os gráficos de um XBox One ou Play Station 4.

O glossário do eGPU

Slots PCIe em uma placa-mãe de PC padrão.

Slots PCIe em uma placa-mãe de PC padrão.

Antes de começarmos, eu quero introduzir alguns termos. Sem um vocabulário básico o mundo do eGPU poderia ficar confuso, rápido. Não há muito para ver aqui para jogadores veteranos – você pode simplesmente rolar a barra de rolagem para a próxima seção.

PCIe x16: PCI Express (PCIe) é o slot da placa-mãe no qual uma placa gráfica padrão se encaixa. A parte “x16” significa que o slot PCIe tem 16 pistas que os dados podem percorrer. Com uma configuração de eGPU normalmente compactamos um slot x16 até uma conexão x1 (1 pista) ou x2 (2 pistas) para o laptop. Isso soa como um negócio louco, mas funciona surpreendentemente bem. Os slots PCIe vêm em três gerações: 1.0, 2.0 e 3.0. PCIe 4.0 também está em obras, mas não é esperado até 2017. A maioria das novas placas gráficas será executado no PCIe 3.0, que é compatível com a versão 2.0.

Conector de alimentação PCIe: PCIe também pode se referir a um tipo de conector de alimentação com seis ou oito pinos.

Um conector de alimentação de 24 pinos

Um conector de alimentação de 24 pinos

Conector ATX de 24 pinos: Este é outro tipo de conector de alimentação que é comumente usado com fontes de alimentação de PC, e é uma das opções de alimentação em adaptadores PCIe.

PCIe placa / placa: Esta é uma pequena placa de circuito com um slot PCIe, alguns slots HDMI, e um monte de opções de energia. O único ponto do adaptador PCIe é ajudar a placa gráfica a se comunicar com o laptop.

Express Card Slot: Este é o local do seu laptop que é reservado para cartões de banda larga sem fio de uma operadora de celular.

MPCIe: Esta é uma interface que alguns entusiastas de eGPU usam para conectar sua placa gráfica a seu laptop em vez de um ExpressCard. Ele oferece uma melhor conexão, mas pode ser um aborrecimento porque a maioria dos slots mPCIe estão dentro do laptop.

cabo-thunderbolt-notebook

Thunderbolt: A tecnologia de E / S rápida da Intel é também uma opção para uma conexão eGPU. Os laptops Windows normalmente não oferecem portas Thunderbolt (ainda), mas muitos entusiastas do MacBook eGPU relatam uma ótima experiência com uma conexão Thunderbolt.

BIOS: Este é o programa que inicialmente é iniciado quando você inicializa o computador. Normalmente é acedido teclando F2, outra tecla F ou um botão especial no seu laptop. O BIOS controla uma variedade de opções para o seu PC, incluindo, por exemplo, a ordem de inicialização de processos.

Frames por segundo (fps): Esta é uma medida básica de quão bem um jogo é executado em um determinado sistema. O padrão de ouro para os jogadores de PC é 60fps, embora 30fps é considerado perfeitamente jogável. Muitos jogos de console “de próxima geração” ainda funcionam a 30 fps.

Componentes básicos do eGPU
Uma configuração típica do eGPU requer cinco itens básicos: um laptop, uma placa gráfica de mesa, um monitor externo, um adaptador / placa PCIe para abrigar o cartão e uma fonte de alimentação separada para a placa gráfica. Você também pode querer um kit de arrefecimento para o seu laptop, se você estiver indo para tentar jogar jogos que vão além do que é chamado de pesado em gráficos, como The Witcher 3.

Idealmente, o seu laptop está contido com um processador Intel quad-core Core ou um processador Core dual-core com Hyperthreading. Também seria uma ótima idéia trocar o disco rígido por um SSD. Este último é muito mais responsivo e torna a experiência de jogo muito melhor, mas não é uma necessidade.

Uma placa BPlus PCIe para uso de placa gráfica externa.

Uma placa BPlus PCIe para uso de placa gráfica externa.

HWTools
Uma placa BPlus PCIe para uso de placa gráfica externa.
A placa PCIe é um equipamento especializado. O local mais popular para pegar uma placa para usuários ExpressCard e mPCIe é o BPlus em Taiwan (HWTools.net). Se você está olhando para usar o Thunderbolt 2.0 para uma configuração eGPU há gabinetes que você pode comprar. Confira esta configuração do eGPU apresentada no AnandTech, bem como o projeto de DIY eGPU do blogger norueguês Poul Peter Serek para mais detalhes.

A maioria dos usuários de ExpressCard e mPCIe deseja obter o PE4C 3.0 da BPlus, que possui um slot PCIe-3.0 x16, além de um suporte agradável para suportar seu cartão. A placa PCIe vem como um kit com conectores de alimentação, e um cabo HDMI-para-ExpressCard que permite que a placa gráfica para interface com o seu laptop.

Como instalar placa gráfica em Notebook – Tutorial

Nem todas as experiências do eGPU são criadas iguais, mas todas têm uma coisa em comum: você tem que fazer um pouco de pesquisa antes de chegar à parte plug-and-play. Na verdade, você pode descobrir que seu laptop particular não é plug-and-play-pronto qualquer, exigindo alguns ajustes de software para funcionar corretamente.

A primeira coisa que você deve fazer é ler sobre as experiências de outros usuários eGPU tiveram com o seu modelo de laptop. Há uma tonelada de usuários eGPU lá fora, e a menos que seu modelo é particularmente novo ou obscuro, as chances são altas que alguém já criou um eGPU configurado com o seu modelo de laptop.

Se você não encontrar alguém com seu modelo, volte uma geração, ou procure laptops do mesmo fabricante para ter uma noção das dificuldades.

Dois locais são centrais para a pesquisa do eGPU. O primeiro é o TechInferno eGPU threads dirigido pela Austrália-baseado Nando4 (vamos apenas chamá-lo Nando) e outros. O segundo é NotebookReview.

Um dos problemas mais comuns que as pessoas atravessam é o que é conhecido como “erro 12.” Isso acontece quando o sistema Windows decide que não tem recursos suficientes para executar a placa gráfica. Erro 12 geralmente pode ser corrigido com soluções como o Setup 1.30, um utilitário de software pago por Nando.

Para obter mais referências, consulte também o YouTube, que está cheio de pessoas rodando benchmarks ou filmando vídeos de suas configurações de eGPU.

Escolhendo sua placa gráfica
Uma vez que você descobriu que tipo de experiência eGPU você provavelmente terá, é hora de começar a comprar uma placa gráfica. Você pode comprar praticamente qualquer coisa, mas eu não aconselharia ir para um cartão top-of-the-line, como o Radeon R9 Fury X ou o Nvidia GeForce GTX Titan X. Em vez disso, eu aconselho você a procurar uma boa placa de vídeo, mas não a melhor que existe.

Boas dicas seriam uma GTX 960 ou Radeon R9 380 – ambas são ótimas para 1080p gaming.

Mais importante, no entanto, não há garantia de que um eGPU funcionará até que você tente. Se você já fez a pesquisa adequada para o seu laptop de antemão, as chances de uma experiência ruim são bastante baixos. No entanto, há sempre o risto e você só pode ser a única pessoa que enfrenta dificuldades.

Se, no entanto, você planeja comprar um novo desktop em breve, em seguida, investir em um cartão high-end agora pode ser uma maneira de espalhar o custo de um novo PC ao longo do tempo.

A outra decisão é se ir com um cartão de AMD ou de Nvidia. A maioria dos usuários eGPU tendem a ir com a Nvidia, então foi isso que eu fiz.

Uma coisa a ter em mente é que sua placa gráfica geralmente precisa do seu próprio conector de alimentação para funcionar em uma configuração eGPU. Isso pode ser um problema para cartões com requisitos mínimos de energia como o GeForce GTX 750 Ti, que extrai seu poder da placa-mãe. Eu não testei se o estoque GTX 750 Ti iria trabalhar com uma placa BPlus, mas eu acabei comprando uma versão overclocked do GTX 750 Ti que vem com um conector de alimentação PCIe de 6 pinos.

Escolhendo sua fonte de alimentação
Junto com sua placa gráfica, você também precisará de uma fonte de alimentação (PSU). Existem muitas marcas de renome de PSUs lá fora, incluindo Cooler Master, Corsair e Seasonic.

Corsair CX430M PSU
Alternativamente, você pode necessitar somente um ‘tijolo’ da potência similar a que dê energia ao seu portátil. A exemplo da Nvidia GTX 650 Ti, que exige 110 watts de potência, de acordo com especificações da Nvidia. Nando aconselha que a sua fonte de alimentação necessita de cerca de 15% mais energia do que o cartão (não o sistema), o que significa que um cartão de 110 Watts precisa de uma PSU com um mínimo de 127 Watts.

BPlus recomenda que qualquer pessoa com uma placa gráfica que exija mais de 220W deve usar a opção de energia ATX com uma PSU PC padrão.

Pessoalmente, eu só fui com uma fonte de alimentação modular Corsair desde uma PSU padrão é tão fácil de encontrar. O guia da PCWorld para escolher uma fonte de alimentação de PC pode ajudá-lo a tomar decisões de compra inteligentes.

Configurando-o
A pesquisa foi feita feita, sua placa de vídeo está na caixa, É hora de começar a fazer a mágia acontecer.

Para o nosso exemplo, estamos conectando uma edição de overclock Asus GeForce 750Ti e uma fonte Corsair 430M PSU a um PE4C 2.1a da BPlus. A placa se conecta a um Lenovo X220 através de um slot ExpressCard – que pode ser adquirido em lojas de informática diversas – , e o cartão também se conecta a um monitor externo de 22 polegadas 1080p através de uma das portas DVI do 750Ti.

1. Primeiro, encaixe sua placa gráfica para o slot PCIe na placa BPlus.

placa-de-video-em-notebook

2. Agora conecte o conector PCIe de 8 pinos na placa ao conector de alimentação de 6 pinos na placa gráfica.

jogos-pesados-no-laptop

3. Finalmente, insira o cabo ExpressCard no laptop e, em seguida, deslize o lado oposto do cabo – o que está com a conexão HDMI – na porta HDMI com o rótulo “X1” no adaptador PCIe. Neste ponto, você também conectaria sua placa gráfica diretamente ao seu monitor externo, geralmente via HDMI ou DVI.

como-rodar-jogos-pesados-no-notebook

E aqui vai o resultado final:

placa-de-video-em-laptop

Agora é hora do momento da verdade. Ligue a sua PSU (não se preocupe se nada acontecer ainda), em seguida, inicialize seu laptop – ou, pelo menos, que é a ordem de boot que funciona para mim. Alguns usuários relatam que a inicialização de uma configuração de eGPU funciona somente quando eles se encaixam no slot ExpressCard após o inicial inicial ou quando o Windows foi carregado.

Seja qual for sua ordem de boot, e assumindo que você tinha uma configuração plug-and-play como eu fiz, você deve inicializar no Windows como de costume. Seu laptop pode fazer algumas ‘partidas falsas’ antes que ele ligue corretamente, porque você adicionou hardware novo para ele. Quando estiver no Windows, verifique se a sua placa gráfica é detectada abrindo o gerenciador de dispositivos e procurando em Adaptadores de vídeo.

Se a sua placa gráfica não estiver identificada, faça o download e instale manualmente os drivers da placa da AMD ou Nvidia. Em seguida, você precisará reinicializar o sistema para que sua configuração do eGPU funcione corretamente.

Uma vez que isso é feito você e o seu laptop agora estão aptos para o maravilhoso mundo dos jogos.  Lembre-se que a GTX 750 Ti é uma placa gráfica de nível de entrada, também. Opções mais caras, incluindo a GeForce GTX 950, podem obviamente funcionar muito melhor.

Atenção: Apesar do tutorial estar correto, não nos responsabilizamos caso você faça a instalação errada e/ou o seu laptop não permita tais configurações. Ou seja: faça por sua conta e risco. É importante, como citei, sempre procurar referências antes de fazer qualquer coisa que você possa se arrepender no futuro.

Dicas de como desenhar um anime

técnicas para aprender a desenhar

Não precisamos de muitas técnicas para aprender a desenhar. Porém, desenhar personagens masculinos em estilo mangá pode ser um pouco mais desafiante do que desenhar personagens femininas, porque geralmente há mais opções que você pode fazer. Mas a abordagem básica é a mesma. Você pode já saber que todo o caráter do anime / manga é proporcionado contando o número de “cabeças altas” são. Em outras palavras, um personagem chibi será apenas a altura de 2 a 3 vezes o tamanho de sua cabeça, e típico “cartoony” personagens manga são geralmente 5 a 7 cabeças de altura. Mais realistas (e ocasionalmente shoujo-estilo) caracteres são, por vezes, até 8 cabeças de altura. Manter a estas escalas assegurar-se-á de seus caráteres – homem ou mulher – olhar proporcionado corretamente.

desenhos-faceis-de-desenhar

Outra diferença a ter em conta é que os corpos femininos tendem a curva no estômago e nos quadris, e acentuando esta é uma certeza que o seu personagem é uma mulher. Os homens, por outro lado, têm torsos que não se curvam muito, e deve mesmo expandir se você está desenhando um caractere fortão ou em excesso de peso. Preste atenção às pernas também – em vez de desenhar “bezerros agradáveis”, curvilíneos, você vai querer usar um pouco mais formas para adicionar músculo, ou simplesmente desenhar as pernas muito mais magro e reto (Monkey D. Luffy de One Piece é um exemplo extremo) . Além disso, os ombros masculinos tendem a ser mais largos (eles se expandem mais para fora da cabeça) e, ocasionalmente, os personagens muito musculosos terão um pescoço que se expande para os ombros (qualquer personagem Dragon Ball Z é um bom exemplo).

desenho para aprender a desenhar

Isso nos leva ao nosso ponto final: Que tipo de personagem masculino você está desenhando? No mangá, você raramente vê personagens femininas que não são altas, magras e bonitas, mas os personagens de mangás masculinos podem correr a gama de ser curto e travesso, mais gordos, altos e impressionantes. Escolha a imagem que você deseja que seu personagem para projetar e realmente acentuar os atributos físicos que transmitem essa imagem. Se ele é um geek real, faça-o curvado sobre com seus ombros quase atrás de sua cabeça (como L de Death Note). Se ele é um jovem arrojado, dê-lhe uma figura de 8 cabeças de altura, com as pernas longas e finas e um bom tronco fino. As possibilidades são infinitas, mas tentar desenhar diferentes tipos de figuras é a melhor maneira de aprender que tipos de corpos criam várias impressões. Esta é a melhor forma de como desenhar desenhos simples.

Qual é a melhor placa para notebook?

Se preparem que hoje a postagem vai ficar um pouco grande. No entanto, a coisa vai ser bem elucidativa. Antes de listar as melhores placas de vídeo disponíveis para notebook e/ou laptops, quero afirmar aqui que existe um grande preconceito em jogar jogos pesados nestes computadores. A maioria prefere jogar no próprio PC ou em consoles. A verdade é que pode-se jogar tranquilamente em notebooks. E a vantagem? Praticidade, rapidez e segurança. Rodar jogos pesados no Notebook não é coisa de outro mundo. É totalmente real. Confiram abaixo as melhores placas de vídeo para notebook. Ou seja, rodar jogos pesados no seu notebook não será mais um desafio.

» NVIDIA GeForce GTX 1080 SLI (Laptop) large

qual-e-a-melhor-placa-para-notebook

A Nvidia GeForce GTX 1080 SLI para laptops é uma combinação de duas placas gráficas GTX 1080 no modo SLI. Cada cartão processa um quadro de cada vez (modo AFR), mas depende da maioria dos jogos em um bom perfil no driver. Portanto, o desempenho pode variar de nenhum ganho sobre uma única GTX 1080 até um desempenho 90% mais rápido. Às vezes, a combinação também pode sofrer de “micro-gagueira”. Os detalhes técnicos do cartão são idênticos a um único GTX 1080 e o consumo de energia é duplicado. Portanto, a combinação 1080 SLI é encontrada apenas em grandes laptops tipo “desajeitado”.

Fabricante NVIDIA
GeForce GTX 1000 Series
GeForce GTX 1080 SLI (Laptop) 5120 @ 1607 – 1733 (Boost) MHz 2x 256 Bit @ 10000 MHz
GeForce GTX 1070 SLI (Laptop) 4096 @ 1443 – 1645 (Boost) MHz 2x 256 Bit @ 8000 MHz
GeForce GTX 1080 (Desktop) 2560 @ 1607 – 1733 (Boost) MHz 256 Bit @ 10000 MHz
GeForce GTX 1080 (Laptop) 2560 @ 1566 – 1733 (Boost) MHz 256 Bit @ 10000 MHz
GeForce GTX 1070 (Desktop) 1920 @ 1506 – 1683 (Boost) MHz 256 Bit @ 8000 MHz
GeForce GTX 1070 (Laptop) 2048 @ 1443 – 1645 (Boost) MHz 256 Bit @ 8000 MHz
GeForce GTX 1060 (Desktop) 1280 @ 1506 – 1708 (Boost) MHz 192 Bit @ 8000 MHz
GeForce GTX 1060 (Laptop) 1280 @ 1506 – 1708 (Boost) MHz 192 Bit @ 8000 MHz
GeForce GTX 1050 Ti (Desktop) 768 @ 1290 – 1392 (Boost) MHz 128 Bit @ 7008 MHz
GeForce GTX 1050 Ti (Notebook) 768 @ 1493 – 1620 (Boost) MHz 128 Bit @ 7000 MHz
GeForce GTX 1050 (Desktop) 640 @ 1354 – 1455 (Boost) MHz 128 Bit @ 7008 MHz
GeForce GTX 1050 (Notebook) 640 @ 1354 – 1493 (Boost) MHz 128 Bit @ 7000 MHz
Codename Pascal GP104 SLI
Architecture Pascal
Pipelines 5120 – unified
Core Speed * 1607 – 1733 (Boost) MHz
Memory Speed * 10000 MHz
Memory Bus Width 2x 256 Bit
Memory Type GDDR5
Max. Amount of Memory 2x 8192 MB
Shared Memory no
DirectX DirectX 12 (FL 12_1)
Transistors 14400 Million
technology 16 nm
Features Multi-Projection, VR Ready, G-SYNC, Vulkan, Multi Monitor, CUDA, 3D Vision, PhysX, GeForce Experience, Surround, GameStream, GPU Boost 2.0, Adaptive Vertical Sync, SLI
Notebook Size large
Date of Announcement 16.08.2016

» NVIDIA GeForce GTX 1080 (Laptop)

A Nvidia GeForce GTX 1080 para computadores portáteis (anteriormente conhecida como GTX 1080M) é a equivalente móvel da GeForce GTX 1080 desktop. Ele usa o mesmo chip GP104 e foi anunciado oficialmente em 16 Agosto de 2016. O desempenho deve estar em torno de + 10% de um GTX 1080 não overclockado. A quantidade de shaders e outras especificações técnicas devem ser idênticas.

O GTX1080 móvel é o sucessor da GeForce GTX 980 para Laptops e oferece um desempenho significativamente maior no mesmo TDP.

O desempenho deve ser ligeiramente inferior ao desktop GTX 1080, mas ainda acima de um desktop GTX 1070. Nossos benchmarks de jogo em nossa revisão da edição Founders do GTX 1080 pode ser tomado como uma referência. Portanto, deve ser mais rápido do que uma combinação SLI de dois GTX 980 e torná-lo possível jogo em 4K e detalhes mais altos.

O chip GP104 é fabricado em processo FinFET de 16nm na TSMC e oferece uma gama de novas funcionalidades. DisplayPort 1.4 (pronto), HDMI 2.0b, HDR, multiprojeção simultânea (SMP), vídeo e decodificadores H.265 melhorados (para PlayReady 3.0) são apenas algumas das melhorias.

Devido ao alto TDP, o GTX 1080 móvel é servido somente para portáteis grandes com soluções refrigerando do elevado desempenho.

Codename Pascal GP104
Architecture Pascal
Pipelines 2560 – unified
Core Speed * 1566 – 1733 (Boost) MHz
Memory Speed * 10000 MHz
Memory Bus Width 256 Bit
Memory Type GDDR5X
Max. Amount of Memory 8192 MB
Shared Memory no
DirectX DirectX 12_1
Power Consumption 165 Watt
Transistors 7200 Million
technology 16 nm
Features Multi-Projection, VR Ready, G-SYNC, Vulkan, Multi Monitor
Notebook Size large
Date of Announcement 16.08.2016

» AMD Radeon RX 490M

placas-de-video-para-notebook

O AMD Radeon RX 490M (anteriormente conhecido como R9 M490) é uma placa para notebooks high end. Deve ser baseado na nova arquitetura Polaris e fabricado em FinFET 14nm. Até agora só surgiu em um driver (de acordo com Videocardz.com) e deve ser anunciado em meados de 2016. A eficiência da Polaris deve ser muito melhorada e, portanto, o M490 deve pelo menos ser capaz de executar como uma GeForce GTX 980M.

Manufacturer AMD
Radeon RX 400M Series
Radeon RX 490M
Radeon RX 480M 1024
Radeon RX 460 Notebook (RX 460M) 896 @ 1180 (Boost) MHz 128 Bit @ 6000 MHz
Radeon Pro 460 1024 @ 900 MHz 128 Bit @ 5000 MHz
Radeon Pro 455 768 @ 850 MHz 128 Bit @ 5000 MHz
Radeon Pro 450 640 @ 780 MHz 128 Bit @ 5000 MHz
Codename Polaris
Architecture Polaris
Pipelines unified
Memory Type GDDR5
Shared Memory no
DirectX DirectX 12
technology 14 nm
Notebook Size large
Date of Announcement 01.08.2016

Novo Mega Drive: vale a pena comprar um?

O novo mini Mega Drive da Sega com 80 jogos está chegando.

Retro é o nova moda atual, o que significa que agora é o novo futuro, e o futuro é ou o novo retro ou o novo nunca. Estamos confusos – você pode explicar?

A compatibilidade com versões anteriores e a venda de jogos antigos está experimentando um renascimento em 2016. Primeiro a Nintendo anuncia o lançamento de um NES totalmente funcional equipado com 30 jogos, e agora um varejista on-line está dando a Sega Mega Drive o mesmo tratamento.

Conheça a Sega Mega Drive: Sonic 25th Anniversary Edition. Esta versão mini do console original vem com 80 jogos originais acoplados ao vídeo game, e é mais superior a versão da Nintento lançada antes, com 30 games.

Altered Beast é um dos games confirmados no novo Mega Drive

Altered Beast é um dos games confirmados no novo Mega Drive

Além da biblioteca incorporada, o novo Mega Drive ostenta um slot de cartucho original, permitindo aos jogadores limpar seus jogos existentes e usá-los com o console. Há também a opção de expandir a memória interna do console, cujo tamanho não é especificado, usando um slot para cartão SD. Os jogos podem então ser baixados da internet.

Além disso, os jogadores terão acesso a carregamento USB, dois controladores sem fio e funcionalidade “plug and play” com televisores modernos. A palavra HDMI nunca é explicitamente declarada, mas parece a única opção sensata para uma saída de vídeo.

O kit custa £ 49,99 e pode ser adquirido como um dispositivo portátil ou um console tradicional. Obviamente a versão handheld não inclui um controlador extra e não emite para uma televisão.

A Sega Mega Drive: Sonic 25th Anniversary Edition está disponível para pré-encomenda no FunstockRetro.co.uk. A lista completa de jogos incluídos (abaixo) inclui alguns clássicos de todos os tempos, como Altered Beast, Sonic The Hedgehog 1 & 2, Mortal Kombat 1-3. Para um kit completamente atualizado com novas funcionalidades, achamos que é um bom negócio, e o presente perfeito para o jogador dos anos 90 buscando a nostalgia. Ou seja: vale a pena comprar o novo Mega Drive.

Lista de jogos do Megadrive:

  • Alex Kidd in the Enchanted Castle
  • Alien Storm
  • Altered Beast
  • Arrow Flash
  • Bonanza Bros.
  • Chakan: The Forever Man
  • Columns
  • Columns 3
  • Comix Zone
  • Crack Down
  • DecapAttack
  • Dr. Robotnik’s Mean Bean Machine
  • ESWAT: City Under Siege
  • Eternal Champions
  • Fatal Labyrinth
  • Flicky
  • Gain Ground
  • Golden Axe
  • Golden Axe 2
  • Golden Axe 3
  • Jewel Master
  • Kid Chameleon
  • Phantasy Star 2
  • Phantasy Star 3
  • Ristar
  • Shadow Dancer: The Secret of Shinobi
  • Shinobi III: Return of the Ninja Master
  • Sonic & Knuckles
  • Sonic Spinball
  • Sonic the Hedgehog
  • Sonic the Hedgehog 2
  • Sonic 3D Blast
  • Sword of Varmilion
  • The Ooze
  • Vectorman
  • Vectorman 2
  • Mortal Kombat 1
  • Mortal Kombat 2
  • Mortal Kombat 3
  • Adventure in the Park
  • Cross the road
  • Jack’s Pea
  • Jewel Magic
  • Curling 2010
  • Plumbing Contest
  • Wall-Breaking
  • Bubble Master
  • Break a Fireline
  • Mahjong Solitaire
  • Warehouse Keeper
  • Chess
  • Memory
  • Snake
  • Air Hockey
  • Spider
  • Naval Power
  • Mr. Balls
  • Cannon
  • Fight or Lose
  • Bottle Taps Race
  • Bomber
  • Checker
  • Hexagonos
  • Whack-A-Wolf
  • Mirror Mirror
  • Panic Lift
  • Black Sheep
  • Flash Memory
  • Brain Switch
  • Mega Brain Switch
  • Hidden Agenda
  • Dominant Amber
  • Hide and Seek
  • Jura Formula
  • Lost World Sudoku
  • Meatloaf Rotation
  • Mya Master Mind
  • Skeleton Scale
  • T-Rex Memory Match
  • Yawning Triceratops

Página 1 de 2

Todos os Direitos Reservados para MORENO GEAR - Proibida a cópia total ou parcial